Está precisando de dinheiro, mas não sabe se vale a pena fazer um refinanciamento? Entenda as situações em que é vantajoso fazer o refinanciamento de um consignado que você tem descontando do seu contracheque.

MOTIVO 1: PRECISA DE DINHEIRO EXTRA?

O refinanciamento do crédito consignado é uma modalidade que utiliza uma parcela que já desconta no contracheque para liberar mais dinheiro. Esta operação faz com que o prazo seja renovado, por se tratar na realidade de um novo empréstimo. O valor dessa operação quita o saldo devedor do contrato anterior e a diferença, que é o que chamamos de “troco”, fica disponível para você utilizar, da forma que preferir.

O refinanciamento vale a pena por que você não precisa incluir uma nova parcela no orçamento mensal.

MOTIVO 2: NÃO TEM MARGEM CONSIGNÁVEL DISPONÍVEL

Caso você já tenha atingido o limite da sua margem consignado, no caso do servidor público o limite de 30% do salário mensal, mais 5% para utilização no cartão de crédito consignado, é interessante pensar em fazer o refinanciamento.

Como você precisa fazer uma nova parcela, você não depende da margem consignável para conseguir liberar um dinheiro extra.

MOTIVO 3: QUITOU MAIS DE 10% DO CONTRATO

Para fazer o refinanciamento, é necessário ter quitado mais de 10% do contrato, ou seja, em um contrato realizado em 96 meses, é necessário ter pago 10 parcelas do consignado.

Quanto maior o número de parcelas quitado, mais dinheiro é liberado quando você faz o refinanciamento.

MOTIVO 4: TAXA DE JUROS MAIS BAIXA

Além de aproveitar os diversos incentivos que o governo disponibilizou em 2020, como o IOF Zerado, é possível aproveitar a redução da taxa de juros do consignado, que hoje, em alguns bancos, chega a 0,80% ao mês.

Então, se você tinha um contrato de consignado com uma taxa de 2% e fizer o refinanciamento, você conseguirá uma taxa de juros bem menor.

MOTIVO 5: QUITE DÍVIDAS COM JUROS ALTOS

O consignado é a linha de crédito mais a taxa de juros mais baixa do mercado, por isso é muito vantajoso fazer o refinanciamento para quitar uma dívida como o cheque especial, cartão de crédito, ou até mesmo o crédito pessoal.

Assim você pega um dinheiro extra e quita as dívidas à vista, conseguindo ainda um desconto dessas dívidas com juros altos.


Qual a diferença entre refinanciamento da dívida e portabilidade de crédito?

Na portabilidade você leva a sua dívida de um banco para o outro que esteja oferecendo uma proposta melhor, seja na redução da taxa de juros, no valor da parcela ou até mesmo uma redução de prazo. Essa operação não libera nenhum valor extra.

Já no refinanciamento, você negocia com a própria instituição a concessão de um novo empréstimo, não trocando de banco. Essa opção é interessante para quem precisa de dinheiro rápido, pois libera o “troco” em até 24 horas, na sua conta.

Mas vale ressaltar que para que o refinanciamento valha a pena, ele deve possuir condições contratuais iguais ou melhores que o contrato anterior.


Ficou com alguma dúvida sobre refinanciamento? Entre em contato com os nossos facilitadores pelo whatsapp (48) 99900-3491 que vamos te ajudar a analisar se o refinanciamento é ideia para você.


Confira outros postagens do blog: